FAZENDO MISSÕES

Loading...

O NATAL QUE A BÍBLIA ENSINA

Tx. Base Mt. 2:1,2,10 e11

A presença de Jesus Cristo foi tão marcante que dividiu a medição do tempo em dois, antes e depois dele (aC e dC). Ele é a figura central da história.
O mês de dezembro é convencionado pela cristandade para comemorar o “nascimento” de Cristo. Ponho entre aspas porque o nosso Senhor sempre existiu de eternidade a eternidade. Na realidade por nascimento queremos dizer o esvaziamento de sua condição divina para humanizar-se.
É um ato que se reveste de grande importância por causa da relação vital que Jesus mantem com o cristianismo, uma relação que nenhum dos outros fundadores de religiões tem para com suas respectivas religiões.
Ele foi o tema central da mensagem dos antigos profetas (At 3.20;10.43). Foi também o tema da mensagem apóstólica (At 5.41,42). É o tema do Evangelho que temos a ordem de pregar (Mc 16.15; Rm.1.1-3).
No dia 25 de dezembro comemoramos o seu nascimento, o Natal de JESUS, mas qual é o sentimento que vem a mente quando se fala a palavra Natal? O que ensina a Bíblia? O Natal que a Bíblia ensina


I. Começa com uma procura por Jesus o Rei dos reis. Vs. 1, 2
Os versículos de Mt 2.1,2 dizem: “Tendo pois nascido Jesus em Belém da Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que vieram do oriente a Jerusalém uns magos que perguntavam : Onde está aquele que é nascido rei dos judeus?…” Os magos estavam buscando a Jesus, existia um profundo interesse em encontrar a Jesus, porque eles sabiam que Jesus era o maior Rei que podia existir, era alguém extraordinário. Aquela estrela era algo que aqueles homens jamais viram, o brilho, a luz.
Naquele momento Jesus era o centro da atenção daqueles estudiosos. Jesus também deve ser o centro da nossa atenção, isso certamente nos tornaria muito mais felizes.
Em relação aos magos, observe que eles haviam deixado o conforto de suas casas, o convívio de suas famílias para irem ao encontro de Jesus. Ah! Quantos de nós ao enfrentarmos a menor dificuldade deixamos de freqüentar as nossas igrejas? Mas aqueles homens venceram grandes dificuldades: o frio congelante, a dificuldade de locomoção, a distância e foram ao encontro de Jesus.
Eles procuraram Jesus com uma fé sincera, com seriedade, diligência, e propósito. Alguém disse que: Os dois maiores dias da vida de uma pessoa são o dia do seu nascimento e o dia em que ela descobre porque nasceu. Aqueles homens haviam feito a maior descoberta das suas vidas, que é o reconhecimento do Senhorio de Cristo. Portanto o natal que DEUS quer para nós começa com uma profunda vontade em se estar com Jesus. Em segundo lugar o Natal que a Bíblia ensina


II. É Um Culto de Adoração e Glorificação a Jesus. Mt 2.2,11
O versículo 2b diz: “pois do oriente vimos a sua estrela e viemos adorá-lo; ainda no verso 11, diz: prostrando-se o adoraram.” Notem que após encontrarem a Jesus, aquelas pessoas imediatamente o adoraram. No Natal que a Bíblia ensina existe um culto de adoração a Jesus, existe a glorificação de Jesus.
Gerald Vann acertadamente afirmou que a adoração não faz parte da vida cristã; ela é a própria vida cristã. Somos chamados a uma preocupação perene com Deus, se adorássemos como devemos não nos preocuparíamos como fazê-lo, sabem porque? Porque a adoração é a função mais elevada da alma humana.
Em nosso Natal JESUS deve ser adorado com mais intensidade. O natal não deve ser apenas uma época de novas roupas, de comida gostosa, cartões especiais… Tudo isso é bom, mas em primeiro lugar nós devemos não devemos esquecer que Jesus ocupa o lugar de honra em nosso natal, e em nossa toda nossa vida. Porque Ele como parte integrante da Santíssima Trindade é digno de toda honra (Ap 22.13). O Natal que a Bíblia ensina


III. Existe Um Sentimento de Dar, e de Servir Mt 2.11

O versículo 11 diz: “… e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra.”
Interessante que aqueles homens, procuraram por Jesus, e o acharam, assim acontece com o ser humano que o busca de todo o seu coração, certamente o encontrará. Depois o adoraram e deram presentes. Observem que no Natal deles, eles não receberam, mas deram presentes. Quantas vezes quando não recebemos aquele presente que acreditávamos ser merecedores, ou um cartão de natal, ficamos tristes… Mas no natal que a Bíblia nos ensina, o sentimento que predomina é o de dar, e dar o melhor. “Coisa mais bem aventurada é dar do que receber” (At 10.35).
Aqueles homens deram o que tinham de melhor, as primícias de suas posses: ouro, incenso e mirra, o ouro sempre foi muito valioso, o incenso e a mirra também o eram. No aspecto teológico poderíamos dizer que o ouro representava a majestade de Jesus ele é o Rei. O incenso o sacerdócio, ele é o Sumo Sacerdote; e a mirra representava a morte, que Jesus é o cordeiro de Deus para ser sacrificado pelo pecado dos salvos.
A pergunta que vem a mente é: Qual o presente que daremos a Jesus nesse natal? Talvez o melhor presente fosse responder a pergunta: Como podemos servir melhor ao nosso Senhor? Nesse natal devemos assumir um compromisso de servir melhor a DEUS neste novo ano que vai começar, comece o ano novo com uma vida nova, faça hoje um compromisso com Deus de servi-lo melhor a cada dia. Essa poderá ser uma grande experiência em nossas vidas. O Natal que Bíblia nos ensina

IV. Tem as Bênçãos da Presença Real de Jesus. Mt 2.11

O ponto principal do natal é a presença Real de Jesus. No verso de Mt 2.10,11 está escrito: “Ao verem eles a estrela, regozijaram-se com grande alegria. E entrando em casa viram o menino com Maria sua mãe…” A primeira conseqüência da presença de Jesus naquela casa era sublime paz e alegria que contagiava a todos que ali estavam.
Assim também acontece hoje, a presença de Jesus em nossas vidas, em nossos lares, em nossas Igrejas, traz um brilho todo especial. Só conseguimos ter paz e alegria completa, se a presença de Jesus fizer parte das nossas vidas. Busquemos pois cada vez mais a presença de Jesus em nossas vidas. Principalmente neste Natal. É preciso que Jesus ocupe o lugar de maior destaque em nosso Natal. FELIZ NATAL COM JESUS CRISTO.


Pr. Wilson Franklim
Pastor Colaborador da PIB do Tingui-RJ e Membro da Ig Batista Filadélfia em Conselheiro Lafaiete
ThD em Teologia

Nenhum comentário:

Postar um comentário